sábado, 24 de dezembro de 2011

'SUTILEZA'


Ela nascera frágil, tão frágil que podia ser comparada à aquelas pétalas de rosas que sobrevivem a inúmeras incapacidades do ser vivo, de não saber no que se pode tocar quando algo necessita de uma extrema sutileza. Possuía assim, uma dignidade admirável, pois sendo frágil se permitia absorver os detalhes que a vida nos traz. Ela gosta de andar descalça, correr e pintar o céu. Faz da lua sua confidente, transbordando seus segredos na calmaria da noite. Canta como criança que canta por gostar, tropeça nas pedras, e com as mesmas constrói seus castelos imaginários. Ela sorri, sorri tanto que chega a contagiar. Suspira por não se conter de tanta alegria, e vive, e vive, e vive .. simplesmente por que sabe ser FELIZ !

Por: Iazmin Lima Abreu.

4 comentários:

  1. Fragilidades que constróem grande castelos abraços

    ResponderExcluir
  2. - Certeza IVES, fragilidade essa que você teve, em perceber nas minhas palavras. Abraço !

    ResponderExcluir